Comunidade participa das celebrações da Semana Santa

março 22, 2016 No Comments

O Domingo de Ramos abriu solenemente a Semana Santa no Santuário, quando a comunidade relembrou a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, como símbolo de humildade e aclamado pelo povo mais simples. O povo acolheu Jesus abanando seus ramos de oliveiras e palmeiras, gesto repetido pela comunidade durante a bênção dos ramos, procissão e também durante a Santa Missa.

A celebração de Ramos foi conduzida por Pe Marcos Ortega, pároco e reitor do Santuário.

Na madrugada de Segunda-feira Santa, 21/03, às 05h30, foi realizada a Caminhada Penitencial seguida de missa, e à noite, a Via Sacra. Nesse dia, se recorda a prisão de Jesus Cristo, em um momento de descanso de Jesus, na casa de uma família que Lhe era muito estimada. A casa de seu amigo Lázaro (a quem Ele havia ressuscitado), e de Marta e Maria Madalena. (Jo 12, 1-11). Faltavam seis dias para a Páscoa. E, enquanto estavam a jantar, Maria tomou um vaso de nardo (um perfume autêntico e muito caro), e ungiu Jesus nos pés, e depois enxugou-os com seus cabelos. A casa encheu-se da fragrância do perfume. Tal gesto foi de imediato criticado por Judas Iscariotes, que hipocritamente logo alegou que o dinheiro que valia o perfume poderia ter sido dado aos pobres.

Jesus ignorou a crítica e, saindo em defesa de Maria, justificou o “esbanjamento da unção”, com estas palavras: “Antecipou-se a ungir o meu corpo para a sepultura. Asseguro-vos que em qualquer parte do mundo onde se proclame o evangelho, se recordará o que ela fez”. Jesus relacionou o pormenor afetuoso com o seu significado mais profundo: anúncio da Sua própria morte, sepultura e ressurreição. O aroma que encheu a casa previa a fragrância do amanhecer da ressurreição no domingo da Páscoa.

Nesta Terça-feira Santa, 22/03, terceiro dia da Semana Santa, são celebradas as Sete dores de Nossa Senhora Virgem Maria. A comunidade participou de procissão penitencial, às 05h30, seguida de missa celebrada por Pe Marcos, e à noite, do Sermão das Sete Palavras, no Santuário.   Essa data é o dia, em que com grande tristeza, Jesus anuncia a sua morte, causando grande sofrimento aos seus discípulos. Anuncia também a traição e indica o traidor. Judas sai possuído por Satanás, para trair o seu mestre. Com isto, Jesus manifesta em pleno o Seu amor por todos nós, e consciente aceita o destino que O aguarda, como forma de mostrar ao mundo a glória de Deus, e assim, para que a Sua salvação chegue até aos últimos confins da terra.

A programação terá sequência nesta quarta-feira:

23/03 – Quarta-Feira Santa

No quarto dia da Semana Santa, às 05h30, a comunidade participa de procissão penitencial seguida de missa presidida por Pe Marcos, e à noite, às 20h, da procissão do encontro de Nosso Senhor dos Passos e Nossa Senhora das Dores. O mundo já está em trevas devido à proximidade da morte de Jesus. O 4º dia da Semana Santa é o dia em que se encerra o período quaresmal. O evangelho deste dia apresenta a traição de Judas, descrevendo-nos como este foi aos chefes dos sacerdotes, a quem se ofereceu para trair Jesus e aceita, assim, trinta moedas de prata como recompensa da sua traição.

24/03 – Quinta-Feira da Ceia e Lava-pés

Quinto dia da Semana Santa. Na manhã deste dia, Dom Luiz Antônio Cipolini, bispo diocesano de Marília, se reunirá com todo o clero, inclusive Pe Marcos, para a Celebração do Crisma, na qual são abençoados os óleos que serão usados na administração dos sacramentos do Batismo, Crisma e Unção dos Enfermos. Com essa celebração se encerra a Quaresma.

Já no período da noite, às 20h30, a comunidade acompanhará a cerimônia que relembra os três gestos de Jesus durante a Última Ceia: a Instituição da Eucaristia, o exemplo do Lava-pés, com a instituição de um novo mandamento e a instituição do sacerdócio. É neste momento que Judas Iscariotes sai para entregar Jesus por trinta moedas de prata. E é nesta noite que Jesus é preso, interrogado, e, no amanhecer da sexta-feira, açoitado e condenado. A igreja ficará em vigília ao Santíssimo, relembrando os sofrimentos de Jesus, que tiveram início nesta noite. A igreja já se reveste de luto e tristeza, desnudando os altares (são retirados todos os enfeites, toalhas, flores e velas), tudo para simbolizar que Jesus já está preso e consciente do que vai acontecer. Todas as imagens existentes no Santuário estão cobertas com panos de cor roxa.

Ao final da celebração, terá início a vigília ao Santíssimo, a partir das 22h.

25/03 – Sexta-Feira Santa ou Sexta-Feira da Paixão

Sexta-Feira da Paixão. É quando a Igreja recorda a morte de Jesus. Será celebrada a Solene Ação Litúrgica, Paixão e a Adoração da Cruz.

Após a Vigília ao Santíssimo, a comunidade acompanhará, às 15h, a Leitura da Paixão do Senhor, no Santuário, e à noite, às 19h, Procissão do Senhor Morto.

 26/03 – Sábado Santo ou Sábado de Aleluia

O Sábado de Aleluia é o dia da espera. Os cristãos junto ao sepulcro de Jesus aguardam sua ressurreição. Na noite do sábado, às 20h, será celebrada a Solene Vigília Pascal, que se inicia com a Bênção do Fogo Novo e também do Círio Pascal. Nessa celebração é feito também o batismo daqueles adultos que se prepararam durante toda a quaresma. A celebração será encerrada com a Liturgia Eucarística, o ápice de todas as missas.

27/03 – Domingo de Páscoa

O Domingo de Páscoa e o dia mais importante para nossa fé cristã, pois Jesus vence a morte para mostrar o valor da vida. É o dia em que se celebra a vida, o amor e a misericórdia de Deus. “Não tenhais medo! Sei que procurais Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui! Ressuscitou, como havia dito!”. Esse dia é estendido por mais cinquenta dias até o Domingo de Pentecostes.

No início da manhã, às 09h, a comunidade participará da Caminhada da Ressurreição e na sequência, Pe Marcos Ortega celebrará a Santa Missa de Ressurreição no Santuário.

Pe Marcos reitera o convite para que toda a comunidade local e da região participe das celebrações no Santuário de Vera Cruz.

 

Notícias

Comente!